Um espaço para pôr as ideias em dia e pensar em voz alta sobre as TIC e a Escola
Terça-feira, 15 de Novembro de 2005
Aprender a trabalhar com o computador, trabalhando
Não querendo perder tempo com descrições, pretendo recordar o modo como os meus alunos, no 1.º ano, se foram apropriando da utilização dos computadores. Logo no primeiro dia de aulas, no âmbito das actividades de recepção do 1.º ano (em que, como manda a tradição na minha escola, os novos alunos e respectivos encarregados de educação participam em vários ateliês) passaram pela sala de informática. Quando entraram, os computadores estavam ligados e foram convidados a usá-los para jogar, desenhar, entrar na Internet... Quem sabia ensinava a quem não sabia e se fosse necessário pedia ajuda ao professor responsável pelo ateliê.


Passados uns tempos, habituaram-se a ir regularmente à sala dos computadores (uma ou duas vezes por semana). Aí começaram a desenvolver actividades sugeridas por mim (copiar um pequeno texto trabalhado na aula, escrever frases ou listas de palavras, ilustrar uma história, utilizar software educativo ou a Internet para fazer um jogo...) e, de uma forma gradual, foram contactando com as diferentes ferramentas informáticas.


Inicialmente, eu tinha a preocupação de preparar a sala de informática para que, quando eles chegassem, os computadores já estivessem ligados e o programa a utilizar já aparecesse no ecrã. Do mesmo modo, no final, era eu que realizava as operações de gravar os ficheiros e encerrar os computadores. Aos poucos fui-lhes passando essas tarefas.


Em algumas ocasiões em que pretendia mostrar a todos o trabalho feito por um grupo de alunos ou chamar a atenção para determinado aspecto técnico relacionado com o funcionamento de um programa, pedia aos alunos para se juntarem à volta de um computador e ficávamos a conversar acerca desse assunto.


sala_computador_alunos.JPG



Isto tudo para dizer que acho que os alunos não precisam de pré-requisitos para começar a trabalhar com os computadores. Penso que os alunos devem aprender a usar os computadores e a dominar progressivamente os aspectos técnicos que vão surgindo, à medida que vão desenvolvendo tarefas com sentido para si próprios e para o grupo. É claro que o trabalho a pares tem aqui um papel fundamental pois promove a troca de conhecimentos e destrezas que fazem com que os alunos se vão tornando cada vez mais autónomos em relação ao professor.

No entanto, é preciso notar que trabalhar numa sala com vinte e tal meninos e dez computadores nem sempre corre às mil maravilhas. Ou há computadores que não arrancam, ou a impressora não imprime, ou um rato deixa de funcionar, ou um menino está sistematicamente a fazer disparates, ou estão vários grupos a pedir ajuda ao mesmo tempo, ou a professora naquele dia está com menos paciência, ou…


Sugestões para dois dedos de conversa:


• Como costumam fazer as primeiras abordagens de utilização dos computadores com os alunos mais novos?


• Será que o professor precisa de possuir pré-requisitos para ser capaz de pôr a sua turma a trabalhar com os computadores?



publicado por mtsilva às 15:52
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Sábado, 5 de Novembro de 2005
A culpa foi da tartaruga...

muitas_tartarugas-2.JPG



Tudo começou há muitos, muitos anos (mas mesmo muitos), quando eu pela primeira vez me sentei em frente de um computador, no decorrer de uma das primeiras acções de formação para professores do Projecto MINERVA.


Nunca antes tinha estado perto de tal máquina, nem sequer pensado que alguma vez isso me pudesse vir a acontecer, mas acho que, desde esse momento, fiquei irremediavelmente fascinada...


Naquela altura, foi uma tartaruguinha branca que era preciso comandar sobre um fundo negro (isto é uma referência à Linguagem Logo) que me começou a dar voltas à cabeça e a imiscuir-se na minha vida (e nos meus sonhos).


Passados uns anos, e depois de ter estado envolvida na formação de professores na área das TIC como professora destacada, voltei à escola. Era chegado o momento de tentar pôr em prática aquilo que tinha andado a apregoar mas que, no fundo, só conhecia na teoria.


Naquela altura, os computadores nas escolas rareavam e o primeiro desafio que se deparou a mim e aos meus colegas foi arranjá-los (e só esse processo dá um romance). E conseguimos arranjar computadores... O segundo desafio foi preparar todos os professores da escola para trabalhar com todos os alunos (esse é outro romance). E conseguimos...


Os anos foram-se passando, continuei nessa escola e, entretanto, consegui uma proeza profissional: pela primeira vez (em mais de 20 anos) tive a hipótese de acompanhar a mesma turma de alunos ao longo dos quatro anos de escolaridade.


No próximo artigo deste blog, irei relatar como foram os primeiros contactos destes alunos com as TIC. E a este propósito, satisfaçam a minha curiosidade:


• Lembram-se da 1.ª vez que usaram o computador?



publicado por mtsilva às 11:16
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

algo sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29
30
31


artigos recentes

A culpa, desta vez, foi d...

Uma Escola com vista para...

Mas o que fazer só com um...

Que competências desenvol...

Todos diferentes...

O prazer de comunicar

E depois da pesquisa?

Questões organizativas

Os primeiros projectos de...

Aprender a trabalhar com ...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

links
Contador

Apollofind Counter
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds